Em 2016 eu e meu marido moramos um mês numa cidadezinha toscana na Itália chamada Cecina (ceci é grão de bico em italiano).

bem vindo à Cecina!

Chegamos à Itália por Roma e pegamos o trem para Piza, Cecina fica uma hora de trem antes da estação central de Piza, em cerca de 2h e meia saindo da estação do próprio aeroporto nos chegamos a Cecina.

praça principal

Tivemos a ajuda de um casal, uma brasileira e um italiano, durante nossa estada. Eles nos alugaram o apartamento e nos deram dicas sobre a cidade e dia a dia.

nós ficamos no 5 piano (andar em italiano)

Primeiro passo no dia seguinte era ir ao mercado, além do mais ir ao mercado em cidades diferentes é um dos programas favoritos do maridón. Fomos ao Eurospin, um dos mais econômicos da Itália junto com o LIDL.

Primeira diferença: você precisa pôr uma moeda de um euro no carrinho para liberá-lo aí quando você acabar as compras e for devolvê-lo ao local correto, terá sua moeda de volta.

luvas higienicas

Outra diferença legal é que precisamos por luvas de plástico para comprar vegetais. Junto do local onde ficam disponíveis saquinhos transparentes terá as luvas e é obrigatório utilizá-la, não atrapalha em nada na hora de escolher e acredito que ajude na conservação, evitando contaminação. Eu achei o máximo! Até esquecia que estava com a luva e tirava só quando estava no caixa hahaha.

nf cecina camila latorre blog

Em geral há quase tudo que no Brasil, iogurte, molhos, pães, carne moída, biscoito e achocolatado, há menos açúcar nesses dois últimos do que estamos acostumados por aqui o que eu achei bom.

Compramos bastante comida, duraram quase três semanas por 103,41 euros e havia alguns produtos D.O.P (garantia de origem) como presunto cru e queijos que custavam 3 euros!

comendo com medo de se acostumar rsrs

Uma das melhores manteigas e azeites que já comi eram os mais baratos do mercado. Também compramos sobremesa, tiramisu e profiterole de mercado mais gostosos que de alguns restaurantes que já fui no Brasil.

melhor tiramisu ever!

Chegamos ao final do verão, e como uma cidade de praia no interior (30 mil habitantes) havia festa na cidade com shows e eventos. Fazia calor na Itália, cerca de 30 graus nos primeiros dias de nossa estada e logo fomos à praia.

Diferente do Brasil, a Itália possui praias que ao invés de areia há pedras no lugar! Sim pedrinhas grandes mais para dentro do mar e menores onde as ondas batem. Minha primeira impressão foi: estranhamento. Lado negativo é que as pedras machucam um pouco se uma onda bate e você precisa firmar o pé; lado positivo é que você não fica “a milanesa” e nem tem tirar a areia do pé quando chega à rua.

Há algumas parte da faixa de areia que são dos hotéis ou privadas, mas há espaço para os banhistas abrirem suas barracas e estender suas toalhas também.

Havia uma rua entre a praia e o bairro onde há bares, lojinhas, sorveterias e restaurantes e fontes de agua doce que ajudavam a refrescar.

Próximo à praia há um parque com muitas arvores, brinquedos para crianças e uma feirinha, bem típico e movimentado.

No centro da cidade, na praça principal há um monumento aos heróis da segunda guerra, a prefeitura e uma igreja, ao redor há diversas lojas de roupas, cabeleireiro e restaurantes.

A melhor gelateria da cidade Filipo’s e também a loja do canollo mais gostoso a Latteria Rossati ficavam nas ruas do centro.

 

 

Fazíamos tudo a pé na cidade, além de caminharmos todos os dias que estivemos lá, tudo que precisávamos era próximo e seguro, podíamos sair tarde da noite que não precisávamos nos preocupar com segurança.

Atrás da rua da nossa casa todas as quintas acontecia uma feirinha, produtos típicos, roupas e produtos de beleza, animais vivos e vegetais uma feira nos mesmo moldes das boas aqui no Brasil. Tantas comidinhas gostosas além de ser uma ótima oportunidades para os produtores locais.

No dia que iriamos a Pisa compramos nosso café na feira, tudo bem gostoso e provamos a porchetta (porco assado inteiro, recheado e com a pele a lá pururuca)!

Sanduíche de porchetta

 

No apartamento que ficamos a maior parte dos moradores eram velhinhos, muito simpáticos e sempre puxavam conversa com a gente, uma pena que não entendíamos o italiano bem o suficiente para conversar mais.

Na Itália é comum que a máquina de lavar roupas fique no banheiro, no nosso apartamento havia uma salinha no corredor que era pra esse propósito e onde ficavam vassoura e produtos de limpeza.

A geladeira é feita para integrar o armário planejado e a coleta de lixo é seletiva, mas é diferente da nossa, um pouco confusa até.

encontre a geladeira…

Um mês é pouco para afirmar que só há vantagens de morar numa cidade, mas nós gostamos da experiência de viver na Toscana. Até repetiria a dose ;o)

 

Como uma cidade de interior, algumas coisas talvez devessemos ir a uma cidade maior para resolver. Havia ônibus e trem próximos e não muito caros, o trem para piza era em torno de 5 euros.

Eu voltaria a Cecina feliz…

Você já teve oportunidade de visitar por um tempo maior um país ou cidade diferente da sua?

Conta-me o que você achou ou se tem vontade de viver essa experiência em algum lugar.