O frio aumentou após a chuva do dia anterior, mas nada nos desanimaria de conhecer o palácio Changdeokgung e o Jardim Secreto e nos premiar com: Lagosta!

Você pode curtir o vlog aqui:

Tomamos o rumo contrário dos dias anteriores para conhecer o Palacio Changdeokgung. Próxima à entrada do castelo havia uma Starbucks e o frio pedia um café bem quentinho. A entrada havia fila para a compra dos tickets, e como possuímos o passe entramos praticamente antes de todos.

O palácio Changdeokgung foi construído no século XV, queimado durante uma invasão japonesa e reconstruído em 1592.

O local foi a moradia oficial dos reis e rainhas e o jardim era seu ponto de descanso e contemplação. O complexo é um dos momentos reconhecidos com patrimônio da humanidade da Unesco.

sala do trono

 

O complexo de palácios foi constantemente ampliado e o roteiro da visita começa no salão  principal, passamos pelo Jardim e descemos por Gyeonghunjeon e Hwangyeongjeon, onde viviam as rainhas regente e as anteriores, respectivamente.

O Jardim Secreto é uma atração a parte e tivemos que acompanhar uma guia pelo local (até então os outros locais podíamos andar livremente). O lugar é magico!

Algumas árvores estão lá a mais de 300 anos. Era um local para estudos dos príncipes e do rei.

O próprio rei cultivava algumas plantas e arroz no jardim, que também possui um espaço para meditação.

Você pode consultar os horários para entrada, que variam de acordo com a época do ano, visitas guiadas e preços nesse link.

 

Saímos morrendo de fome e, para variar, quis experimentar essa batatinha espiral que vimos bastante pela cidade, parecia ser mais gostosa do que realmente era, pois estava gelada.

Pegamos um ônibus 720 e fomos em direção ao palácio Deoksugung, neste há também o portão Daehanmun aonde vimos à troca de guarda no primeiro dia na cidade.

Deoksugung era inicialmente a casa do irmão do rei Seongjong e durante muitos anos houve mudanças em seu status de local oficial e não oficial, assim há algumas construções modernas dentro da área do palácio, como o museu de arte de Seul.

Sino do sec. XV

vista do palácio pelo portão interno

usei fotos da internet por motivos de manifestação pró Trump

A troca de guardas acontece no portão Daehanmun, exceto as segundas, nesses horários: 11:00-11:40 / 14:00-14:40 / 15:30-16:30.

Na saída, o portão estava tomado por pessoas protestando sobre algo que não identificamos, apenas que apoiavam o Donald Trump (buuuuh). Ganhamos balinha de uma das manifestantes e do outro lado da rua, separados pela policia, uma passeata, com muito mais pessoas que a pró-Trump. Tudo em paz e tranquilo.

Andamos até Meyongdong e dessa vez as ruas já estavam mais cheias e com vendedores de comidinhas gostosas. Vejam que uma comida bem cara aqui no Brasil, a lagosta, é vendida na barriquinha da rua!

Eu que nunca havia comido lagosta aproveitei! Que delícia, eles passam manteiga, jogam queijo por cima e colocam num churrasqueira; ficou muito gostoso e custou 15 mil won, não é baratinho, mas bem mais em conta que no Brasil.

Myeongdong foi o melhor local de Seul para fazer câmbio, os preços bem melhores que os do aeroporto e que os bancos que olhamos nos dias anteriores. Só tenha cuidado de levar aquelas canetas que testam notas falsas. Comprei a minha na Kalunga, mas é fácil de achar.

Andamos por ali e sem esperar muito encontramos uma lojinha, o cheiro que vinha era maravilhoso, havia uma fila enorme na porta e claro que tivemos que olhar. Era uma lojinha de pão! Sem brincadeira, o melhor pão que já comi na vida!

O pão tinha uma massa muito fofa, tanto doce quanto salgado, eram gostosos e baratos! Cada pão que devia ter uns 400gr e custavam 2,900 won. Claro que, depois de provarmos (o primeiro foi de blueberry), todos os dias íamos lá comprar mais.

bancos em forma de malas

claro que ainda comi um peixinho recheado de nutella rsrs

Mais tarde voltamos para o Cheonggyecheon, pois acontecia o Festival das Lâmpadas e também podíamos ver as decorações das olimpíadas de inverno que acontecerão na Coréia em fevereiro de 2018.

 

As margens eram pequenas para tantas pessoas e mesmo com o frio, crianças e idosos aproveitavam a comemoração.

Acreditem é algodão-doce

Você comprava a vela e ela vinha com uma dobradura de papel em formato de flor onde se podia escrever uma mensagem e pedir coisas boas, depois era só deixar no rio. Muito bonito!

Continuamos com fome mesmo após o pão, então fomos em direção a Insadong comer o famoso frango frito coreano, que nos diziam ser melhor que do KFC. O restaurante estava bem cheio, muitos jovens comendo e bebendo cerveja. Achei gostoso, um pouco mais leve que o KFC realmente, mas nada que se diga: “nossa melhor da vida!”.

Finalmente pegamos o ônibus numero 9 para casa descansar e lavar roupas rsrs.

Me diz aqui nos comentários se você já ficou com muita expectativa numa coisa e depois achou comum… sempre acontece né!