Já falei em outros posts aqui o quanto Foz me encantou e como a cidade é bonita.

visão panorâmica

Resolvemos aproveitar o domingo na cidade para conhecê-la melhor, nada como conhecer o marco das três fronteiras do lado brasileiro num dia que não se pagava estacionamento! Chegamos ao local e logo nos surpreendemos, não era apenas mais um obelisco pintado, há uma estrutura enorme e com muitos detalhes sobre a história da região.

Entrada do Marco

A entrada é paga (R$19,30), não possui meia entrada para estudantes, há alguns descontos para criança e idosos, moradores de Foz (portando comprovante de residência ) não pagam a entrada e também há alguns pacotes familiares e um semanal para que você possa ir ao monumento mais vezes na semana,  a noite acontece um show de iluminação na fonte principal só não voltamos para ver.

20170625_150224

Na entrada há um mural explicando um pouco de como foram “descobertas” as cataratas e sobre um filme que foi rodado na região A Missão de 1986.  A arquitetura do prédio remete aos séculos 17 e o obelisco do marco foi construído em 1903; há bastante informação disponível para ampliar seu conhecimento sobre a região.

O obelisco do Marco foi inaugurado em 1903

 

Há uma sala onde é possível assistir um vídeo sobre o Cabeza de Vaca, o explorador espanhol que iniciou sua expedição pela Flórida (EUA), foi capturado por tribos locais, conquistou sua amizade e voltou para Espanha aproximadamente nove anos após sua partida. Ele foi então designado para vir reestabelecer à cidade de Buenos Aires. Seu navio desceu onde hoje é o estado de Santa Catarina e nessa viagem ele encontrou as Cataratas, anos depois foi preso e mandado de volta para Europa. Vale a pena assistir o vídeo é muito bem feito e detalhado.

Ao lado de fora há a fonte e o obelisco típico das fronteiras e uma vista linda dos rios Paraná e Iguaçu. A impressão que dá é que estamos no pátio de um casarão antigo ou uma praça, nos recomendaram ficar até o por do sol ou voltar à noite para ver o show da fonte, mas não iriamos poder.

 

O Marco fica no local do encontro dos rios Iguaçu e Parana, é possível ver o encontro do dois e a placa com as direções dos três países.

Saímos de lá mortos de fome e nossa expectativa sobre um prato que amamos estava fazendo a gente salivar mais ainda! Amamos Gyro, Kebab, Shawarma ou churrasquinho grego, o nome não importa!!! Desde Amsterdã nos apaixonamos e como em Foz do Iguaçu há uma comunidade árabe grande já deixamos marcados alguns lugares para ir comer. Fomos ao Alladin que fica Av. Juscelino Kubitscheck, eles até tem entregas, e foi excelente! Tudo fresquinho feito na hora, molhos e tudo como o costume, o local é limpo e há mesas no interior e também na calcada, acredito ser um negócio familiar autêntico.

Só de lembrar minha boca já enche d’água rsrs

Aproveitando a onda árabe e passamos na mesquita, enorme e branca, lindíssima. Não entramos, pois era Ramadan e havia muita gente na parte de fora fazendo um belo banquete, ficamos sem saber se era apenas para eles ou para a comunidade então, não paramos.

Que rua mais linda!

Andamos um pouco pela cidade, passamos por algumas baladas que a noite ficam bem movimentadas, fomos ao shopping Cataratas e depois ao mercado Muffato, adorei esse mercado! Em relação a produtos ele tem praticamente as mesmas coisas que aqui em Minas o que gostamos mesmo foi o restaurante e lanchonete do mercado, que delicia! Vale a pena ir lá comer, o almoço é servido ate às 15 horas e a janta ate às 21h30min, a lanchonete sempre há opções para um lanche rápido. Como já havia mencionado antes meu marido adoeceu e para ajuda-lo  nada melhor que uma comida quentinha. Na casa que estávamos havia cozinha, mas não tinha como fazer uma comida elaborada, no Muffato compramos uma sopinha congelada sem conservantes muito gostosa, principalmente o caldo de abobora com carne seca!

20170628_210840

No dia de voltar para BH, maridão já estava um pouco melhor, sem febre e eu começando com os mesmos sintomas. Saímos de Foz na parte da manhã, fazia calor nesse dia. Passadinha no posto para calibrar pneus, passeamos na farmácia e comprei pastilha pra garganta pra aguentar até em casa e seguimos viagem. Umas duas ou três horas à frente compramos um saco de milho verde! Hahahahaha Alguns fazendeiros ficam vendendo na beira da estrada, na ida já havíamos planejado essa gracinha, e comemos milho até cansar chegando em casa!

Muito milho! Até fiz uma receita de mingau, muito boa inclusive!

Chegando ao estado de Minas Gerais sentimos o frio que nossos amigos falaram que estava, que gelo! Acabamos tendo que parar para cochilar num Graal por conta da neblina que estava muito forte.

de manhã ainda estava com neblina…

Chegamos sãos e salvos finalmente! Gastamos uma média de R$ 600,00 de gasolina (alguns postos conseguimos gasolina a R$3,20) e em torno de R$400,00 com pedágio (valores para ida e volta). O Airbnb custou exatamente R$438,00 pelos 7 dias.

Quer saber como começou essa viagem? clique aqui.

Saiba mais sobre Puerto Iguazu!

Quer conhecer as Cataratas? Clique aqui.

Quer saber como foi visitar o Templo budista? Clique aqui.

Até breve…