Meu cabelo era  cacheado e amava usá-lo com cachos, me lembro de fazer escova algumas poucas vezes até os 20 anos. Só que nosso cabelo muda a cada 8 ou 10 anos e nessa época eu perdi meus cachos, eles começaram a ficar sem forma, eu passava gelatina sem sabor (naquela época não “rolavam” muitas opções para cachos).

Calhou também de começar a revolução da progressiva, aquelas que você tinha que usar máscara e óculos de proteção e tinha que ficar sem lavar e prender o cabelo por 3 dias, já ouviu falar? Enfim, desde então uso sempre os cabelos lisos e precisava de uma ajuda maior para mantê-los aceitáveis e para que não quebrassem.

Os óleos vegetais são uma boa opção e são até baratos, dependo do tipo. Comecei a usar o bom e velho azeite de oliva, extra virgem (para o azeite de oliva ser considerado extra virgem ele precisa ter acidez abaixo de 0,3%), e como o cabelo gosta! É incrível!

Bom, comecei pelo azeite, depois descobri um blog muito bom, pena que não existe mais onde a blogueira (Juliana) usava o óleo de côco, muito antes de virar a febre que é hoje. Ela também usava outro óleo muito diferente, típico aqui em Minas, óleo de pequi.

Pequi é o fruto de uma árvore do serrado, amarela e com um caroço cheio de espinhos (!), um dos pratos mais famosos feito com ela é o arroz de pequi.

Eu não gosto do cheiro, nem do gosto, mas usava o óleo porque ele dava o efeito mais potente que o óleo de côco.

oleo-de-pequi-camila-latorre-blog

O óleo possui ácidos que agem de forma benéfica no cabelo como o ácido linoleico e o palmítico, muita vitamina A e ação anti inflamatório, podendo ser aplicado na raiz do cabelo. Lavando bem o cabelo depois com shampoo e condicionador.

oleo de pequi

você compra ele assim, o oleo correto tem essa cor âmbar ou caramelo

 

Atualmente temos a nossa disposição um mundo de óleos, mas o mais importante quando você optar por qual irá usar é saber se ele realmente é puro e se a acidez é baixa, nosso cabelo e couro cabeludo tem PH ácido, então para que fiquem saudáveis devemos mantê-lo assim.

Aqueles produtos que vendem nas farmácias, se dizem óleo de uva ou amêndoas possuem silicone ou óleo de palma misturado, eu particularmente nunca vi ação nesses, já usei pelo preço ser menor, mas não adianta.

Também está na ‘moda’ o óleo de rícino, acho ele super difícil de passar porque ele é bem grosso e a melhor forma de usá-lo é misturar um pouco com de óleo de côco e esquentar uns 10 segundos no micro-ondas.

oleo-de-ricino-camila-latorre-blog

Eu passo os óleos no cabelo antes de lavá-los, na verdade passo umas horas antes. Algumas pessoas dizem dormir com eles no cabelo e retirar no dia seguinte, só não deu muito certo pra mim porque meu travesseiro ficou totalmente oleoso hahaha.

Quando não consegui deixar umas horas eu uso o secador na temperatura mais baixa, ponho uma touca de plástico e passo, como se estivesse secando o cabelo, aquecer potencializa. Espero esfriar e depois lavo com shampoo e condicionador normalmente. Sem mistério!

 

Há uns dias li uma matéria onde uma dermatologista dizia que usá-lo assim, fazendo umectação, não adiantava. Segundo ela o cabelo não absorvia os ácidos presentes no óleo de côco, por exemplo, e que deveríamos usar cremes que o contenham ou os ácidos específicos. Provavelmente ela deve ter algum estudo para justificar essa matéria, mas eu percebo diferença no meu cabelo.

Não, o óleo não alisou meu cabelo, nem acho que seja possível uma vez que ele não quebra as pontes de enxofre do fio (quanto mais enxofre no cabelo menos liso o fio é), então não acredito muito quando alguém fala que alisou o cabelo, acredito sim que a textura melhore e que o fio fique mais uniforme. O que eu sinto é que mesmo o meu cabelo com progressiva, que deixa o fio meio blindado, ele ajuda a manter a água e deixar mais maleável provavelmente pela ação do ácido láurico que possui baixo peso peso molecular e consegue penetrar no córtex do fio.

Além dos que eu mencionei acima há uma infinidade de óleos disponíveis, argan, macadâmia, abacate, e cada um deles tem um efeito próprio, porém em teses os óleos agem da mesma forma, escolha um que você se adapte melhor.

Já usou algum óleo diferente ou de algum jeito diferente? Me conta aqui… Vou adorar testar!

See ya!