Assista o video das aventuras desses dias…

 

Faltava um dia e meio para voltar para a casa e decidimos terminar o guia da Seul histórica no Jongmyo, visitar a torre mais alta da cidade e fazer compras, ou tentar pelo menos.

Começamos o dia caminhando até o Santuário Jongmyo, estava incluído em nosso ticket de entrada nos palácios e também é tombado como patrimônio da UNESCO. Antigamente ficava ligado ao palácio Changdeokgung, porém durante a invasão japonesa foi construída uma estrada entre eles, separando-os.

Fomos numa segunda, dia que a visita só é permitida acompanhada com um guia, contudo o guia em inglês só iria estar disponível ao meio dia, então decidimos acompanhar a guia em coreano mesmo.

Vocês podem consultar os horários do guia aqui e se estiver na cidade aos sábados pode fazer o passeio livre.

O local é utilizado para rituais sagrados confucionistas, religião dominante durante a dinastia Joseon. Lá ficavam consagrados os reis e rainhas e eram realizados vários rituais com canções e danças em homenagem a estes.

é tão grande que não estava conseguindo ângulo para enquadrar

Atualmente em maio há uma encenação do ritual, se sua viagem for nesse mês vale a pena participar. Uma curiosidade do Santuário é que durante o reinado Joseon foi à construção mais longa da Coréia, com sete salas no prédio principal.

Mais um dia chuvoso e decidimos provar o famoso churrasco coreano. Nosso host do Aibnb havia nos avisado que para nós brasileiros, talvez não agradasse (ele já havia estado no Brasil).

Fomos até Hongdae novamente, e lá escolhemos um buffet liberado de churrasco coreano e acompanhamentos. Escolhiamos as carnes numa geladeira, acompanhamentos como batatas, arroz, cogumelos e fazíamos a carne na nossa mesa.

Uma dentre varias coisas que eu achei super facilitadora da vida na Coréia foi o uso da tesoura na comida! Faca é coisa do passado.

Realmente não é a carne que a estamos acostumados, muito gordurosa, alguns pedaços pareciam bacon, mas comemos bem e valeu a experiência. Nesse restaurante o valor individual era 10 mil won.

o restaurante é esse a direita com o banner na porta

No caminho vimos uma das comidas típicas de rua de Seul (na verdade é chinesa) Dragon’s beard candy, algo como doce de barba de dragão. É uma bala recheada com amêndoas ou chocolate, feita a partir do açúcar, que é aquecido e vão se formando vários fios muitos finos, são recheados e enrolados. É bem doce e gostoso.

Escolhemos esse dia para fazer compras, presentes e comidas que queríamos trazer. Fomos a Nandaemun, um shopping a céu aberto perto de Meyongdong e compramos com uma senhora simpática que nos deu Yakult de brinde!

Passamos em duas lojas de bugigangas (amo), que acredito serem japonesas, a Dayso e Miniso. Vale muito uma visita. Antes de entrar nelas, pare e pense, respira fundo, foca em todas as coisas que você já tem em casa e no tamanho da sua mala. Agora entra… difícil manter o foco com tantas coisas legais que você nem precisa hahaha.

eu pedi um balão pra mocinha do caixa hahaha

O maior mercado que vimos foi o Lotte Market, ele fica na Seoul City Station, também tem um shopping estilo outlet ao lado. Entramos no mercado que estava bem cheio e compramos algumas coisas para trazer e outras para comer lá mesmo.

quem resiste???

Enchemos nosso carrinho, felizes e contentes até chegar ao caixa. Na hora de pagar a caixa disse que faltava dinheiro! Que? Como assim tá faltando?

Confundimos a nota de 5 mil won com a de 50 mil won e tivemos que devolver parte da compra. Foi formando uma fila maior, mas a caixa estava calma e muito paciente. Voltamos para casa apenas com o dinheiro em nossos t-money.

onde que ela foi parar? rsrs

Dia seguinte, corremos para trocar o dinheiro e aproveitar o restinho do tempo.

Chegamos cedo ao restaurante que vimos num post do Melhores Destinos, Jayeon Byeolgok,  era buffet livre com sobremesa e bebidas. Os atendentes não falavam inglês e com boa vontade conseguimos pagar os 13 mil won para cada.

chic né?

Comida muito gostosa! Estava sinalizado o que era apimentado e também uma descrição dos ingredientes. Cogumelo empanado e frango agridoce um dos meus preferidos.

Na ordem, refri de grapefruit, rolinhos de macarrão transparente, frango agridoce com milho cremoso, cogumelo frito e torta de maçã.

 

Bebidas eram liberadas; havia sucos naturais, refrescos, refrigerantes, café e chá e também havia sobremesas, uma torta de maçã bem gostosa, o Patbingsu que é uma raspadinha de gelo com calda de frutas.

O coração é de princesa, o estômago de pedreira!

Comemos bem nesse dia, vale chegar com muita fome e repetir várias vezes hahahaha.

O último passeio do dia seria N Seoul Tower.  O acesso a entrada da torre pode ser feito por uma escada ou um elevador a partir da rua Namsangongwon-gil, fomos andando de Meyongdong até lá.

Esperando o elevador para subir até o bonde.

Você pode optar por subir até a torre pela trilha, por dentro da montanha, apenas descer pela trilha ou fazer como nós e pagar 8 mil won para subir e descer de teleférico. A vista é linda, vale a pena.

 

Chegamos ao pé da torre onde há lojinhas, restaurantes e em alguns horários ocorre uma encenação com tambores e dança . A tradição de prender cadeados entre os casais na Coréia é na N Tower.

 

Por todo o pátio você vê os cadeados, a lojinha de souvenir vende cadeados, então caso queira, é possível fazer esse ritual.

 

A entrada para a torre mesmo é feita na bilheteria desse mirante, custou 10 mil won. Subimos num elevador ultrarrápido, com umas animações o teto.

 

A torre possui 236 metros de altura e lá de cima é possível ver a cidade toda! Na parte do observatório esta marcada nos vidros a distancia das principais cidades do mundo e claro, lojinhas.

longe de casa…

Já era hora de voltar para casa e ainda queria tomar um chá coreano. Encontramos uma casa de chá bem típica, e pertinho da nossa casa. Serviram-me água quente para beber antes, deve ser um hábito coreano.

O chá que escolhi era de uma frutinha coreana roxa, dentro da tigela vinha também três florzinhas feitas de maçã e alguns biscoitinhos. Muito gostoso e tradicional. Custou 8 mil won.

vimos a plaquinha e tivemos sorte!

Voltamos para a casa e saímos bem rápido para o aeroporto. Na área de embarque internacional os produtos estavam mais caros e não o aceitavam o T-money em todos os lugares, descemos para o desembarque.

Precisavamos comer mais uma refeição e gastar nosso t-money. Claro que aproveitamos para testar mais uma iguaria coreana, o chá de cabelos de milho torrado. Não é bom.

 

Comemos uma marmitinha e um hamburger de camarão, algo próximo a 5 mil won.

É possível ter o valor dos impostos que você pagou de volta. Algumas lojas como o Lotte Market já fazem isso quando você apresenta o passaporte.

Há algumas regras, as compras precisam ser maiores que 30 mil won e apenas em lojas específicas.  O processo é feito em totens, ele lê seu passaporte, as notinhas e depois é só ir com um ticket pegar o dinheiro no local indicado.

Robô de faxina do aeroporto de Seul!

À volta para o Brasil me preparei para o inchaço nas pernas, comprei uma meia de compressão leve e me ajudou demais. No começo eu estranhei um pouco, assim que vesti senti apertar demais, mas em cinco minutos nem senti que estava usando. Recomendo se você também tem esse problema.

Não demos a mesma sorte de a cadeira do corredor ir vazia, nem a comida estava gostosa, mas estávamos felizes e cansados.

Seul foi uma aventura completa! Primeiro voo longuíssimo, primeira vez de Qatar, primeira vez num país oriental e na Ásia, aventuras gastronômicas enfim, tudo muito novo. Eu me apaixonei pela cidade! Me perguntam o que me fez gostar tanto e eu não sei dizer.

Um dia voltarei Seul!

 

Alguma vez você sentiu que o lugar superou suas expectativas? Quero saber se fui só eu…rsrs